fbpx

Resíduos da indústria de papel: A solução para a descontaminação das águas

Nos resíduos da indústria do papel pode estar a solução para remover das águas e das aquaculturas os restos de fármacos usados pelos produtores.

Uma equipa de químicos na Universidade de Aveiro (UA), conseguiu converter as lamas que resultam desses resíduos, num biocarvão que é capaz de atrair e reter uma vasta gama de substâncias tóxicas.

Este trabalho está a ser realizado no âmbito do projeto RemPharm e centrou-se na remoção de resíduos de analgésicos e os resultados são promissores:

  • Os biocarvões resultantes das lamas (uma matéria prima barata que iria para o aterro), conseguem competir com outros já existentes no mercado.

 

A equipa de investigadores focou-se no desenvolvimento de um biocarvão adsorvente (material capaz de fixar na respetiva superfície moléculas presentes em fluídos) utilizando como matéria-prima resíduos agrícolas e industriais produzidos em grande escala.

A equipa do Departamento de Química afirma que “o propósito final consistiu na utilização dos adsorventes produzidos para remoção de poluentes das águas dos sistemas de recirculação em aquacultura e foram escolhidos os anestésicos veterinários como contaminantes a testar”.

No que respeita aos adsorventes desenvolvidos, os investigadores concluíram que, de todos os resíduos testados, as lamas da indústria da pasta e do papel são os percursores mais promissores para produção de adsorventes.

Vantagens ambientais

Na descontaminação das águas, o método de adsorção tem a vantagem de concentrar em poucas gramas de um sólido (o adsorvente) o contaminante que se encontra num grande volume de água, não havendo produção de subprodutos que podem ser tóxicos.

O uso de um resíduo para a produção desses adsorventes, (neste caso através da utilização das lamas), é uma vantagem relativamente aos que são produzidos através de materiais de origem mineral, evitando assim a exploração destes recursos naturais e o custo associado à sua extração.

Os investigadores explicam que “os biocarvões produzidos a partir dos resíduos industriais (lamas primárias e biológicas resultantes do tratamento de efluentes da indústria da pasta e do papel) mostraram ser adsorventes bastante promissores, com percentagens de remoção dos anestésicos muito boas”.

Aplicação deste tratamento

Quanto à sua aplicação, concluiu-se que o tratamento de adsorção pode ser uma opção a implementar nos sistemas de recirculação em aquacultura,  no entanto, os investigadores alertam dizendo que, “deve ser desenvolvido mais trabalho, no sentido de provar a viabilidade técnica e económica da aplicação deste tratamento”.

Para além dos anestésicos utilizados pelos aquicultores para reduzirem o stress dos peixes, os novos adsorvestes podem ser utilizados para remover outros contaminantes.

Atualmente, o grupo de investigação está a estudar a ativação dos carvões produzidos através dos resíduos da indústria da pasta e do papel e a sua funcionalização para remoção seletiva de contaminantes da água.

Fonte: Portugal2020

A NOCTULA – Consultores em Ambiente, elabora e implementa estudos e monitorizações no âmbito da Directiva – Quadro da Água, de acordo com o “Manual para a Avaliação Biológica da Qualidade da Água em Sistemas Fluviais” (INAG): fitoplâncton, zooplâncton, Macrófitos e Ictiofauna.

A NOCTULA encontra-se igualmente capacitada para realizar levantamentos segundo a metodologia River Habitat Survey (RHS).

Caso necessite de algum serviço na área da monitorização da qualidade das águas, não hesite em contactar-nos: 232 436 000 ou através do email: info@noctula.pt.

… o que interessa deve ser partilhado!

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador. Leia a nossa Política de Privacidade para mais informações.