fbpx

Lista Verde da IUCN: O novo modelo de avaliação de espécies protegidas

A International Union for Conservation of Nature (IUCN) implementou um novo método para medir com eficácia o sucesso dos programas de conservação de espécies.

O novo modelo foi apresentado pelo Grupo de Trabalho do Comité da Lista Vermelha da IUCN para o “Sucesso da Conservação das Espécies”, sob o título de ‘Lista Verde de Espécies da IUCN‘. A nova estrutura pretende ajudar a Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas a se recuperar, medindo as ações de conservação.

O novo método não vai substituir a Lista Vermelha da IUCN, mas sim complementá-la, demonstrando o sucesso real de projetos de conservação.

Enquanto que a Lista Vermelha da IUCN, avalia o risco de extinção das espécies, a Lista Verde,  avaliará a recuperação de espécies e irá medir o sucesso de conservação, avaliando ainda quais os indicadores de conservação para o futuro.

A Lista Vermelha da IUCN foi criada em 1963 e constitui um dos inventários mais detalhados do mundo sobre o estado de conservação mundial de várias espécies de plantas, animais e fungos. Já o novo modelo de avaliação de espécies será testado extensivamente através de várias espécies terrestres, marinhas e de água doce, a fim de encontrar um sistema que funcione para todas as espécies.

Craig Hilton-Taylor, responsável máximo pela Unidade da Lista Vermelha e co-autor do artigo sobre a nova metodologia, que foi publicado na revista científica Conservation Biology, indicou que “o novo enquadramento destaca uma mudança ambiciosa no pensamento da conservação para a necessidade de assegurarmos a recuperação de espécies, em vez de evitarmos apenas a sua extinção”.

Um dos novos estatutos inseridos na ‘Green List’ deverá ser o de espécie “totalmente recuperada”, definida como uma espécie viável e que cumpre os seus papéis ecológicos nos ecossistemas da sua área natural de distribuição.

O conceito da nova estrutura para medir o sucesso da conservação surgiu do desejo de incentivar a ação de conservação, quantificando o seu sucesso.

O novo método baseia-se em 4 índices práticos que visam demonstrar sucessos de conservação e o grau de recuperação das espécies, ao invés de status de ameaça. Este método considera:

  • os impactos da conservação no passado;
  • o que aconteceria se as medidas de conservação atuais cessassem;
  • ganhos esperados da ação de conservação;
  • quão próxima de uma espécie ‘totalmente recuperada’ pode ficar uma espécie com ações de conservação efetivas.

Águia Imperial Ibérica  | Programa de conservação LIFE Imperial

‘Green List’ –  Programa de Áreas Protegidas e Conservadas da IUCN

O Programa da Lista Verde de Áreas Protegidas e Conservadas da IUCN  visa incentivar, alcançar e promover áreas protegidas eficazes, equitativas e bem sucedidas em todos os países. Pretende incentivar as áreas protegidas a medir, melhorar e manter o seu desempenho por meio de critérios globalmente consistentes.

A fase piloto da Lista Verde da IUCN, já terminou. Agora, a equipa técnica da IUCN quer assinalar por todo o mundo, zonas onde a proteção da biodiversidade está a ter sucesso, de forma a que no futuro possam servir de exemplo para projetos semelhantes. Nos últimos anos, foram reconhecidas 22 áreas no total.

Marc Hockings, responsável máximo da Lista Verde, explicou que a “entrada de novas zonas na Lista Verde, permite perceber até que ponto as medidas de proteção anunciadas estão a ser seguidas, em locais formalmente protegidos”.

Atualmente o projeto está em fase de levantamento das áreas protegidas que vão ser reconhecidas. Em causa estão 4 critérios principais:

  • Boa governação;
  • ‘Design’;
  • Gestão efetiva;
  • Resultados na área da conservação.

 

Em cada país, uma equipa de especialistas intitulada de Eagl (Expert Assessment Group) analise as áreas protegidas que pretendem entrar na lista.

Portugal tem algumas espécies classificadas como ameaçadas ou em risco de extinção, como são o caso:

  • das espécies terrestres, Lince e lobo Ibérico, classificados como “espécies em “perigo”;
  • da Águia-imperial-ibérica – classificada como espécie Criticamente Em Perigo”;
  • o Abutre-preto – classificado como “espécie Criticamente Em Perigo”;
  • o Saramugo – classificado como “espécie Criticamente Em Perigo.

Lobo-Ibérico (Canis lupus signatus) | Programa de Conservação Grupo Lobo

Várias equipas técnicas, apoiadas por programas de conservação, trabalham diariamente para proteger estas espécies. Portugal dispõe de vários programas de preservação, conservação e reintrodução como por exemplo:

Saiba mais sobre a Lista Verde – Programas de Áreas Protegidas e Conservadas da IUCN AQUI.

Um dos serviços da NOCTULA – Consultores em Ambiente consiste na Monitorização de Sistemas Ecológicos, nomeadamente a Monitorização de Aves, Mamíferos terrestres, marinhos e voadores, Fito e Zooplâncton, Invertebrados, Herpetofauna (anfíbios e répteis) e Monitorização de Flora, Vegetação e Habitats.

Caso necessite de algum serviço na área da Monitorização de Sistemas Ecológicos, não hesite em contactar-nos: 232 436 000.

Fontes: Wilder, IUCN, The Guardian

Imagens retiradas do site: Flickr e Pixabay.

… o que interessa deve ser partilhado!

Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador. Leia a nossa Política de Privacidade para mais informações.