Monitorização da Toupeira-de-Água com câmaras de “vídeo-armadilhagem”

Aproveitamento Hidroelétrico, Blog, Monitorização de Sistemas Ecológicos, ProjetosComentários fechados em Monitorização da Toupeira-de-Água com câmaras de “vídeo-armadilhagem”341

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInBuffer this pagePin on PinterestTweet about this on TwitterEmail this to someone

A NOCTULA – Consultores em Ambiente, foi responsável pela monitorização de Toupeira-de-água, através de câmaras de vídeo com sensores de movimento, no Aproveitamento Hidroelétrico do Mel, localizado no concelho de Castro Daire, distrito de Viseu.

O projeto Hidroelétrico do Mel destina-se à produção de energia elétrica a partir de uma fonte renovável e não poluente – a água, contribuindo dessa forma para a diversificação das fontes energéticas do país e para o cumprimento das obrigações nacionais e internacionais em matéria de política energética.

A Toupeira-de-água (Galemys pyrenaicus) é uma espécie residente na Península Ibérica e nos Pirinéus. Segundo os estatutos de conservação esta espécie está classificada a nível global como vulnerável.

Esta espécie está estritamente associada e dependente dos cursos de água (corredor aquático e ripícola). Vive nos rios e ribeiras de montanha, efetuando na água a maioria das suas deslocações e a recolha de alimento e utilizando os abrigos naturais nas margens para repouso e reprodução. Prefere águas de correntes fortes, límpidas, de baixas temperaturas e onde se verifique um fluxo regular de água durante todo o ano.

Todas as ações e atividades passíveis de provocar alterações significativas nos sistemas aquáticos e ribeirinhos e a sua desnaturalização constituem ameaças à conservação da Toupeira-de-água. A construção de barragens é considerada a ameaça de maior magnitude e significância.

A construção de barragens implica a perda de grandes áreas de habitat da espécie, a perda ou diminuição da potencialidade do habitat, e a criação de graves descontinuidades entre as populações. A fragmentação e isolamento populacional são originados por esta quebra do continuum fluvial e pelo próprio efeito de barreira resultante da instalação da estrutura transversal (açude ou barragem), intransponível ou dificilmente transponível para os indivíduos.

Toupeira-de-água (Galemys pyrenaicus) – Fonte: museuvirtual.activa-manteigas

A área prevista para a implantação do projeto “Aproveitamento Hidroelétrico do Mel“, que se encontra atualmente em fase de pré- construção, não abrange áreas sensíveis, no entanto durante os trabalhos de campo, no âmbito do Estudo de Incidências Ambientais, o troço de rio de Mel estudado, foi alvo de prospeção minuciosa dirigida à Toupeira-de-água. Apesar dos esforços, não foram encontrados indivíduos nem indícios indiretos típicos da espécie.

Embora não tenham sido encontrados indíviduos durante a prospeção, a equipa técnica, tendo em consideração que o habitat físico apresentava boas características para a ocorrência de Toupeira-de-água e que esta espécie normalmente surge em densidades muito baixas e tem maior atividade durante o Inverno, implementadou a realização de uma campanha de vídeo-armadilhagem durante o Inverno, com o objetivo de se confirmar a sua presença nesta zona.

 

Parâmetros monitorizados:

Foram monitorizados os principais parâmetros que caraterizam as populações da espécie “Toupeira de água”:

  1. Número de dejetos (Nº/km);
  2. Abundância relativa (Nº de indivíduos por Km Rio).

Durante a monitorização foram traçados locais ao longo das margens do rio, com potencial para a ocorrência do aparecimento desta espécie, como por exemplo: junto a abrigos naturais nas margens e zonas de águas límpidas e de correntes mais fortes. Depois foram instaladas estações de vídeo-armadilhagem, com o objetivo de obter estimativas de abundância da espécie. Os locais de instalação dos equipamentos foram:

 Locais onde foi comprovada a presença da espécie;

 Locais onde foram encontrados indícios da sua presença;

 Locais onde apesar de existirem condições propícias, ainda não foram encontrados indícios.

Metodologia Utilizada:

Os locais foram monitorizados através de duas técnicas complementares:

  1. Transectos lineares ( percursos traçados ao longo do rio)
  2. Uso de armadilhas ( foram utilizadas câmaras vídeo-armadilhagem – equipamentos de vídeo com sensores de movimento, sem flash e com iluminadores de infravermelho para registo de atividade noturna).

Foram instaladas 8 câmaras “vídeo-armadilhas”, ao longo dos percursos com potencial presença desta espécie. Todas as câmaras de vídeo funcionaram em simultâneo durante 28 dias (um ciclo lunar). Após este período os vídeos obtidos foram analisados, de forma a identificar e quantificar o número e tipo de indivíduos detetados.


Quando se confirma a presença da espécie em estudo, durante a fase de pré-construção, a monitorização deverá ser continuada na fase de construção e, pelo menos durante os primeiros três anos da fase de exploração do projeto, através de campanhas de amostragem.


Após análise dos resultados obtidos pelas câmaras de vídeo-armadilhagem, a equipa técnica não registou nenhuma Toupeira-de-Água. No entanto, durante o período de 28 dias em que as câmaras estiveram no terreno, foram detetadas muitas outras espécies. Veja aqui o que encontrámos:

Família de Saca-rabos registada em momentos raros 🙂

Geneta descobre câmara escondida… 🙂

Lontra (Lutra lutra) 🙂

Melro d’água (Cinclus cinclus) 🙂

Fuinha (Martes foina) 🙂


Para ver mais vídeos registados pela equipa NOCTULA durante as várias monitorizações já realizadas, clique aqui.

A NOCTULA – Consultores em Ambiente realiza várias monitorizações ambientais, nomeadamente Monitorização de Sistemas Ecológicos:

  1. Fito e Zooplâncton
  2. Flora, Vegetação e Habitats
  3. Invertebrados
  4. Herpetofauna (anfíbios e répteis)
  5. Aves
  6. Mamíferos voadores – quirópteros (morcegos)
  7. Mamíferos terrestres
  8. Mamíferos marinhos

Caso necessite de algum serviço na área da Monitorização de Sistemas Ecológicos, não hesite em contactar-nos: 232 436 000 ou através do email: info@noctula.pt.

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInBuffer this pagePin on PinterestTweet about this on TwitterEmail this to someone

Related Posts