fbpx

Compromisso para o Crescimento Verde

O Ministro do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia, Jorge Moreira da Silva, apresentou a proposta de Compromisso para o Crescimento Verde que resultou do debate realizado no âmbito da Coligação para o Crescimento Verde, constituída por quase uma centena de organizações das áreas empresarial, científica, financeira, assim como dos organismos públicos, fundações e ONG.

Compromisso para o Crescimento Verde fixa 13 objetivos quantificados para 2020 e 2030:
  •  Aumentar o Valor Acrescentado Bruto «verde»;
  • Incrementar as exportações «verdes»;
  • Criar postos de trabalho «verdes»;
  • Aumentar a produtividade dos materiais;
  • Aumentar a incorporação de resíduos na economia;
  • Privilegiar a reabilitação urbana 17% das obras novas em 2020 e 23% das obras novas em 2030;
  • Aumentar a eficiência energética intensidade energética;
  • Aumentar a eficiência hídrica máximo de 25% de água não faturada no total da água colocada na rede em 2020 e 20% em 2030;
  • Reduzir as emissões de CO2 entre 68 e 72 milhões de toneladas CO2 em 2020 e entre 54 e 60 milhões de toneladas CO2 em 2030, contingente a interligações;
  • Reforçar o peso das energias renováveis peso de 31% no consumo final de energia em 2020 e 40% em 2030;
  • Melhorar o estado das massas de água 72% das massas de água passar de qualidade «Inferior a Boa» a «Boa ou Superior» em 2020 e 100% em 2030;
  • Melhorar a qualidade do ar máximo de nove dias com Índice de Qualidade do Ar (IQAR) «fraco» e «mau» em 2020 e máximo de dois dias em 2030;
  • Valorizar a biodiversidade 126 espécies e 96 habitats com estado de conservação «favorável» estabelecido por região biogeográfica em 2020 e 158 espécies e 144 habitats em 2030.

 

Em ordem para atingir os objetivos propostos, o compromisso sugere 83 iniciativas, das quais se destacam:

— Atingir, até 2020, níveis ambiciosos de reciclagem e reutilização de resíduos: reduzir para 35% a deposição, em aterro, dos resíduos urbanos biodegradáveis; aumentar para 50% a taxa de preparação de resíduos para reutilização e reciclagem; assegurar níveis de recolha seletiva de 47kg/habitante/ano.

— Aumentar a produção de energias renováveis (passando de 31%, em 2020, para 40%, em 2030, o peso de fontes renováveis no consumo final de energia) e fomentar o autoconsumo de energia, atingindo 300MW, em 2020.

— Promover projetos de exportação de energias renováveis para cumprimento de metas europeias de países terceiros.

— Promover a mobilidade elétrica, alargando e introduzindo maior concorrência na rede pública, introduzir 1250 viaturas elétricas e híbridas plug-in nos serviços do Estado e concretizar sistemas de gestão de frotas – car pooling.

— Promover a valorização sustentável dos recursos minerais metálicos – que podem atingir 1% do PIB e 25 000 postos de trabalho.

— Alargar significativamente o peso da reabilitação urbana no volume de construção civil, através: do Regime Excecional de Reabilitação Urbana (RERU)

Consulte o Compromisso para o Crescimento Verde aqui.

O Governo coloca à discussão pública a proposta de Compromisso para o Crescimento Verde para que possa ser enriquecido ou ampliado com outros contributos. Os interessados em participar na consulta pública devem enviar os seus contributos para o endereço de correio eletrónico: crescimento.verde@maote.gov.pt.

No âmbito do processo de discussão pública do documento, o Ministério do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia, em parceria com associações empresariais e outras entidades de diversos setores, organizou um ciclo de 10 conferências pelo país.

… o que interessa deve ser partilhado!

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador. Leia a nossa Política de Privacidade para mais informações.