fbpx

Política Ambiental da União Europeia

Desde meados da década de 70 do século passado que a política ambiental da União Europeia (UE) tem sido orientada por programas de ação que definem objetivos prioritários a serem alcançados durante um período de vários anos. O programa atual, o sétimo deste tipo, foi adotado pelo Parlamento Europeu e pelo Conselho da União Europeia em novembro de 2013 e abrange o período até 2020.

Nas últimas décadas a União Europeia pôs em prática uma ampla legislação ambiental. Como resultado, a poluição do ar, da água e do solo foi significativamente reduzida. A legislação sobre produtos químicos foi atualizada e a utilização de muitas substâncias tóxicas ou perigosas foi restringida. Hoje, os cidadãos da UE desfrutam de água com uma qualidade das melhores do mundo e mais de 18% do território da UE foi designado como área protegida.

No entanto, muitos desafios persistem e estes devem ser abordados em conjunto de uma forma estruturada. Neste sentido, surge o 7.º PAA – o Programa Geral de Ação da União para 2020 em matéria de Ambiente, que menciona nove objetivos prioritários e o que a UE tem de fazer para os alcançar até 2020:

  • Proteger, conservar e reforçar o capital natural da União – desde os solos férteis e terras e mares produtivos à água doce de boa qualidade e ao ar puro – assim como a biodiversidade que o sustenta;
  • Tornar a União numa economia hipocarbónica, eficiente na utilização dos recursos, verde e competitiva;
  • Proteger os cidadãos da União contra pressões de caráter ambiental e riscos para a saúde e o bem-estar, como a poluição atmosférica e da água, o ruído excessivo e os produtos químicos tóxicos;
  • Maximizar os benefícios da legislação da União relativa ao ambiente através da melhoria da respetiva aplicação;
  • Melhorar a base de conhecimentos sobre o ambiente e alargar a fundamentação para as políticas;
  • Assegurar investimentos para a política relativa ao ambiente e ao clima e considerar os custos ambientais de quaisquer atividades da sociedade;
  • Integrar melhor as preocupações ambientais noutras áreas de política e assegurar coerência ao criar uma nova política;
  • Tornar as cidades da União mais sustentáveis;
  • Ajudar a União a abordar o ambiente internacional e as alterações climáticas de forma mais eficiente.

 

O programa entrou em vigor em Janeiro de 2014. Cabe às instituições da UE e aos Estados-Membros garantir que é implementado, e que os objetivos prioritários estabelecidos são cumpridos até 2020.

… o que interessa deve ser partilhado!

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador. Leia a nossa Política de Privacidade para mais informações.