fbpx

Poluição do ar: Os 15 locais mais poluídos de Portugal

A Organização Mundial de Saúde (OMS) indicou 15 locais portugueses que se encontram acima do limite máximo de partículas finas inaláveis, correspondentes a 10 microgramas por metro cúbico.

Em causa estão as partículas PM2.5, as mais finas e suscetíveis de se infiltrarem no organismo (podem infiltrar-se nos pulmões e no sistema cardiovascular), causando doenças potencialmente mortíferas como derrames cerebrais, ataques de coração, obstruções pulmonares e infeções respiratórias.

Dos mais de 50 locais analisados, a segunda maior cidade do país (Porto) fica abaixo do limite e Guimarães registou o valor mais baixo da lista, com 3 microgramas por metro cúbico de ar. O valor máximo registado em Portugal foi em Estarreja, com 15 microgramas.

 

Os 15 locais nacionais que excedem o limite de 10 microgramas por metro quadrado são:

  • Estarreja (15 microgramas);
  • Almada e Cascais (14 microgramas);
  • Lisboa e Portimão (13 microgramas);
  • Albufeira, Buraca, Faro, Algueirão-Mem Martins, Ílhavo e Marateca (12 microgramas);
  • Aveiro, Chamusca, Setúbal e Vila do Conte (11 microgramas).

 

Existem ainda 7 locais que estão no limite definido pela OMS (10 microgramas):

  • Barreiro,
  • Coimbra,
  • Loures,
  • Odivelas,
  • Perafita,
  • Santiago do Cacém,
  • Senhora da Hora.

A cidade mais poluída do mundo

Apesar de Portugal ter 15 locais acima do limite estabelecido pela OMS, estes valores são consideravelmente baixos, quando comparados com a cidade mais poluída do mundo – Muzaffarpur na Índia. Esta cidade registou 197 microgramas por metro cúbico, um valor que está, no entanto, a ser revisto.

Segundo a organização, todos os anos morrem 7 milhões de pessoas por causas diretamente relacionadas com a poluição e os níveis de contaminação permanecem “perigosamente elevados” em várias regiões do globo.

Num estudo recentemente divulgado pela OMS, na população mundial, 9 em cada 10 pessoas respiram ar poluído e contaminado.

Os investigadores deste estudo afirmam que os níveis de contaminação do ar têm-se mantido estáveis ao longo dos últimos 6 anos, com ligeiras melhorias na Europa e no continente americano.

De acordo com um mapa divulgado pela OMS, os EUA, Canadá, Austrália, a Nova Zelândia e os países escandinavos são os países com melhor qualidade de ar.

Já os países mais pobres, na Ásia, África e Médio Oriente, registam a maior percentagem de mortalidade causada pela poluição, que apresenta níveis cinco vezes superiores ao estabelecido pela OMS.

“Apesar das melhorias alcançadas e dos esforços postos em prática, a maioria da população mundial, 92%, respira ar contaminado em níveis muito perigosos para a saúde, afirmou a diretora de Saúde Pública e Meio Ambiente da OMS , María Neira.

No esforço de alterar o panorama, María Neira deu como exemplo a China, que politicamente se propôs a reduzir os “níveis de contaminação altíssimos”.

A NOCTULA – Consultores em Ambiente foi responsável pela caracterização das emissões atmosféricas numa empresa agro-alimentar portuguesa especializada em lacticínios e derivados.

Fonte: Sábado

… o que interessa deve ser partilhado!

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador. Leia a nossa Política de Privacidade para mais informações.