fbpx

Drones e tecnologia móvel de termografia melhoram a monitorização de Turbinas Eólicas

Investigadores do Instituto Fraunhofer para a Energia do Vento e Tecnologias de Sistemas Energéticos (IWES), em Bremerhaven, estão a estudar novos métodos para a monitorização das turbinas eólicas offshore, que permitam a inspeção estrutural mesmo em condições climatéricas difíceis.

O estudo, que está a ser desenvolvido em conjunto com a fabricante alemã de turbinas eólicas WindMW Service GmbH, o Instituto de Metrologia, Automação e Ciências da Qualidade de Bremen (BIMAQ) e a Deutsche WindGuard Engineering GmbH, tem como objetivo principal a redução dos tempos de interrupção de serviço, decorrentes de operações de manutenção e a otimização dos processos de inspeção estrutural.

De forma a alcançar os objetivos do projeto, os engenheiros alemães estão a utilizar duas abordagens distintas:

Primeira abordagem

A primeira abordagem envolve o uso de aeronaves não tripuladas (drones) em combinação com tecnologias móveis de termografia.

A utilização de sistemas avançados de termografia possibilita a deteção de danos na superfície dos diferentes elementos das turbinas eólicas. Os defeitos estruturais originam fricção entre os elementos constituintes dos rotores eólicos, o que por sua vez gera calor. Os fluxos de calor ao longo dos materiais podem ser precisamente avaliados através da captura e análise de imagens térmicas.

Segunda abordagem

A segunda abordagem passa pela integração de sistemas de medição de emissões acústicas, nas pás dos rotores eólicos. Esta abordagem permite a existência de um sistema de alerta que avisa antecipadamente quando surgem defeitos estruturais ou mecânicos. Os sensores ‘piezoelétricos’ e de emissões acústicas são instalados em zonas estruturalmente relevantes das pás dos rotores, ou seja, estatisticamente propícias ao aparecimento de fragilidades.

As estruturas são desta forma, monitorizadas de forma contínua pelo sistema de medição de emissões acústicas e assim que este sistema emite um alerta, na sequência da deteção de um potencial defeito, novas medidas de monitorização entram em funcionamento. Estas passam pela inspeção detalhada, utilizando câmaras de imagem térmica, instaladas em drones, que possibilitam a avaliação detalhada da condição estrutural da torre eólica.

Um dos parceiros do projeto, a Deutsche WindGuard Engineering GmbH, já levou a cabo ensaios iniciais para avaliação do desempenho do sistema. O próximo passo consiste na escolha do modelo de drone e equipamento de imagem mais adequado à otimização dos processos.

Em paralelo estão também a ser otimizados os algoritmos de avaliação, uma procedimento que está a ser desenvolvido pela Universidade de Bremen.

Fonte: EngenhariaCivil.com

… o que interessa deve ser partilhado!

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador. Leia a nossa Política de Privacidade para mais informações.