eficiência energética apoios

Apoios 2016 para a Eficiência Energética no setor da Indústria

BlogComentários fechados em Apoios 2016 para a Eficiência Energética no setor da Indústria1007

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInBuffer this pagePin on PinterestTweet about this on TwitterEmail this to someone

gestão da energia nas empresas do setor industrial é muitas vezes negligenciada por ter menor peso que outros fatores de produção.

No entanto, a eficiência energética diminui os desperdícios e contribui para o aumento da competitividade, num mundo cada vez mais globalizado e com uma concorrência feroz.

Estabelecido através do decreto-Lei n.º 50/2010, de 20 de maio, o Fundo de Eficiência Energética (FEE)constitui um instrumento financeiro desenvolvido para financiar os programas e medidas previstas no Plano Nacional de Ação para a Eficiência Energética (PNAEE).

O AVISO 19, prevê novas candidaturas para o FEE na Indústria, com objetivo de potenciar e modernizar o setor industrial e da agricultura, apoiando  o desenvolvimento de projetos e iniciativas que promovam a eficiência energética por via da otimização energética dos processos de fabrico e da introdução de novas tecnologias.

As candidaturas irão decorrer até ao dia 30 de setembro de 2016.

aviso19_2016

Quem pode usufruir do FEE?

  1. Operadores de instalações a cumprir as disposições constantes do Decreto-Lei n.º 71/2008, de 15 de abril, e com Acordo de Racionalização dos Consumos de Energia (ARCE) em curso, estabelecido através do Sistema de Gestão dos Consumos de Energia;

  2. Operadores de instalações industriais (CAE 01 a 33) não abrangidos pelo regime do comércio europeu de licenças de emissão previsto no Decreto-Lei n.º 93/2010, de 27 de julho e no Decreto-Lei n.º 38/2013, de 15 de março, cujo consumo energético, no ano civil anterior, tenha sido inferior a 500 tep/ano.

O valor máximo a atribuir à totalidade dos projetos é de 891.028,56€, dividida da seguinte forma:

  1. Beneficiários com consumos superiores ou iguais a 500 tep/ano: 623.719,99€ (70%)
  2. Beneficiários com consumos inferiores a 500 tep/ano: 267.308,57€ (30%)

Os projetos relacionadas com Sistemas de Gestão de Energia são financiados em 25%, até ao limite máximo de 7.500 €.

Vantagens da Eficiência Energética:

  1. Evita desperdícios;
  2. Promove equipamentos mais eficientes;
  3. Melhora os processos Industriais;
  4. Aumenta a competitividade das empresas;
  5. Beneficia o meio ambiente.

LogoPNAEE

Eficiência Energética no processo Industrial

Atualmente os sistemas modernos de controlo de processo industrial não são concebidos exclusivamente para a eficiência energética, mas também para a otimização da produção, da qualidade do produto e da segurança dos operadores dos equipamentos produtivos.

O processo de Eficiência Energética na Indústria pode se desenvolver nos seguintes âmbitos:

  1. Monitorização e controlo – A gestão da energia consumida é uma tarefa que engloba várias medidas, tais como o planeamento, a monitorização e a implementação de estratégias de controlo otimizadas;
  2. Tratamento de efluentes – Este processo permite remover muitos dos contaminantes existentes nas águas residuais, obtendo-se água tratada que pode ser reaproveitada no processo ou eliminada sem problemas ambientais associados;
  3. Integração de processos – O balanço de energia de um processo pode ser utilizado para otimizar o recurso às utilidades exteriores ao processo.
  4. Manutenção de Equipamentos – Os equipamentos necessitam de monitorização, manutenção e de reparação para que se mantenham eficientes.
  5. Isolamentos Térmicos – O melhoramento do isolamento térmico de superfícies é uma medida de implementação simples. Os Isolamentos Térmicos criam uma barreira térmica que permite reduzir a transferência de calor.
  6. Transportes – Numa instalação fabril existem múltiplos sistemas de transporte. No que diz respeito aos sistemas de transporte de matérias-primas, combustíveis e produtos acabados devem sofrer uma análise à otimização das cargas e à otimização de motores elétricos.
  7. Formação e sensibilização de recursos humanos – Um operador responsável por um equipamento deve estar suficientemente informado e formado para manter o equipamento a funcionar em condições ótimas, sem descurar a sua segurança.
  8. Redução de energia reativa – A redução da potência reativa dos equipamentos elétricos permite a obtenção de poupanças elétricas através do aumento do fator de potência.

eficiência energética

Submissão de candidaturas

As candidaturas são apresentadas ao FEE através do portal eletrónico do PNAEE na área de candidaturas FEE, onde deverão ser submetidos todos os documentos solicitados na minuta do aviso, devidamente preenchidos.

O período de submissão de candidaturas estará disponível por 4 meses a contar da data de publicação do Aviso 19.

Na NOCTULA – Consultores em Ambiente prestamos apoio às empresas na instrução do processo de Licenciamento Industrial e também no processo de Auditoria Energética, nomeadamente, na elaboração do Plano de Racionalização dos Consumos de Energia (ARCE).

Caso necessite de algum apoio contacte-nos .

Fonte: PNAEE, ADENE

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInBuffer this pagePin on PinterestTweet about this on TwitterEmail this to someone

Related Posts