LIFE+ INVASAQUA: O projeto Europeu para prevenção de espécies invasoras aquáticas na Península Ibérica

Ambiente, Blog, Ecossistemas, Espécies, Espécies Exóticas Invasoras, Fauna, fauna piscícola, Sistemas ecológicosComentários fechados em LIFE+ INVASAQUA: O projeto Europeu para prevenção de espécies invasoras aquáticas na Península Ibérica297

Foi apresentado na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, o LIFE+ INVASAQUA, o projeto europeu de sensibilização e prevenção de espécies invasoras aquáticas de água doce e estuarinas da Península Ibérica.

Os rios, lagos e estuários de Espanha e Portugal têm uma rica diversidade endémica que está seriamente ameaçada pela presença de um elevado número de espécies exóticas invasoras.

A Portugal chegam em média, 3 novas espécies aquáticas invasoras por ano. Estas espécies chegam principalmente da Europa e da América do Norte. Entre as principais razões para a sua disseminação estão a: pesca desportiva, transferência de água e as atividades ornamentais. Em muitas situações as espécies vêm também agarradas a barcos e a outros meios de transporte.

Atualmente há 158 espécies de animais e 32 espécies de plantas e macro-algas exóticas invasoras na Península Ibérica. Segundo os especialistas, os peixes, crustáceos e os moluscos são os principais grupos de espécies exóticas invasoras de água doce.

O projeto LIFE+ INVASAQUA iniciou em novembro de 2018 e irá prolongar-se até 2023. Tem como principal objetivo aumentar a consciencialização para os problemas das espécies exóticas invasoras nos ecossistemas aquáticos e desenvolver ferramentas que melhorem o estrutura de Alerta Rápido e Resposta Rápida (EWRR), para as novas espécies invasoras em habitats de água doce e estuarinos na Península Ibérica.

Objetivos específicos

1) Reduzir a introdução e disseminação de espécies exóticas invasoras na Península Ibérica;

2) Apoiar a implementação do Regulamento da UE sobre Espécies Exóticas Invasoras, envolvendo e criando sinergias entre as partes interessadas na gestão da Península Ibérica;

3) Melhorar a capacidade Ibérica de deteção precoce e resposta rápida, através do aumento da consciencialização e formação dos principais grupos-alvo;

4) Aumentar a consciencialização do público em geral sobre as ameaças causadas pelas espécies exóticas aquáticas.

Uma análise dos responsáveis pela Lista Vermelha da União Internacional para Conservação da Natureza (UICN) mostra que as espécies invasoras são a segunda causa de ameaça mais comum associada à extinção de espécies, sendo também uma das principais causas da perda de biodiversidade.

No que se refere à Península Ibérica, os ecossistemas aquáticos estão especialmente em risco, desconhecendo-se a situação atual das Espécies Exóticas Invasoras e o grau de ameaça que representam para o meio ambiente. Assim, o principal problema reside na falta de informação-chave para melhorar a consciencialização e gestão.

Em 2015, a UICN publicou um sistema para classificar as espécies exóticas invasoras com base na natureza e magnitude de seus impactos. O sistema EICAT – Classificação de Impacto Ambiental de Espécies Exóticas, pode ser usado por cientistas, gestores ambientais e profissionais de conservação como uma ferramenta para obter:

  1. uma melhor compreensão da magnitude dos impactos causados por diferentes espécies;
  2. para alertar as partes interessadas para as possíveis consequências da chegada de certas espécies invasoras;
  3. para priorizar, implementar e avaliar as políticas e as ações de gestão.

Utilizando o sistema EICAT, o programa LIFE INVASAQUA pretende abordar as partes interessadas que estejam relacionadas com a chegada e dispersão de espécies exóticas e classificar as espécies com base no impacto para o meio ambiente.

Principais ações a implementar:

1) Criar listas de espécies prioritárias (concretamente as que já estão em Portugal e Espanha e as que terão maior impacto)

2) Avaliar o risco das espécies que poderão chegar ao território Ibérico;

3) Definir as linhas estratégicas de gestão a nível Ibérico, para apoiar e facilitar a implementação da legislação europeia;

4) Criar uma plataforma online que reúna toda a informação sobre espécies exóticas invasoras de água doce e de estuários, que seja uma referência para quem quiser saber mais;

5) Realizar campanhas de formação, divulgação e comunicação dirigidas a grupos de interesse (como pescadores desportivos e comunidade escolar);

6) Desenvolver atividades de comunicação e sensibilização dirigidas ao grande público, com campanhas de voluntariado, ciência cidadã, eventos com estudantes e exposições itinerantes a nível Ibérico.

Publico-alvo do programa Life+ INVASAQUA

O projeto apoiará a Estratégia de Biodiversidade da UE para 2020 e o Regulamento da UE sobre prevenção e gestão de espécies exóticas invasoras. É coordenado pela Universidade de Murcia e tem como entidades parceiras a:

  1. Universidade de Évora
  2. Universidade de Santiago de Compostela,
  3. Universidade de Navarra
  4. EFE verde
  5. Museo Nacional de Ciências Naturales
  6.  SIBIC – Sociedade Ibérica de Ictiologia
  7. ASPEA – Associação Portuguesa de Educação Ambiental
  8.  UICN  – União Internacional para Conservação da Natureza

A NOCTULA – Consultores em Ambiente realiza várias monitorizações ambientais, nomeadamente Monitorização de Sistemas Ecológicos:

  1. Fito e Zooplâncton
  2. Flora, Vegetação e Habitats
  3. Invertebrados
  4. Herpetofauna (anfíbios e répteis)
  5. Aves
  6. Mamíferos voadores – quirópteros (morcegos)
  7. Mamíferos terrestres
  8. Mamíferos marinhos

Caso necessite de algum destes serviços não hesite em contactar-nos: 232 436 000 ou através do email: [email protected].


Fonte: Aspeaec.europa, Wilder

Related Posts