fbpx

O que aconteceu à Energia das Ondas?

As ondas são formadas pela força do vento sobre a água. O movimento da água que resulta da força do vento transporta energia cinética que pode ser aproveitada por dispositivos próprios para a captação dessa energia, chamada energia das ondas.

energia das ondas esquema funcionamentoFuncionamento de central de energia das ondas | Créditos: www.abae.pt

Apesar de parecer uma boa aposta a fazer em Portugal, com a nossa extensa costa, porque é que este sistema ainda está tão pouco desenvolvido?

A falta de desenvolvimento neste tipo de energia renovável não acontece só em Portugal. Dave Levitan deu a sua visão do atual estado no campo da energia das ondas, proporcionando alguma clareza sobre por que o progresso tem sido tão lento:

1 – O oceano é inóspito

O oceano é um ambiente inóspito para máquinas, logo os custos são mais elevados do que para construir em terra. A água salgada corrói os materiais, as ondas podem ficar realmente violentas, o envio de equipas para fazer instalações e reparações sai caro.

Os parques eólicos offshore são sempre mais caros do que os terrestres, por exemplo.

pelamis energia das ondas mar

Pelamis – dispositivo de conversão de energia das ondas do tipo progressivo, desenvolvido pela Ocean Power Delivery, Ltd. (Escócia).

2 — Não foi uma prioridade

Existiu alguma pesquisa na área da energia das ondas logo após o embargo árabe do petróleo na década de 1970, mas desde então o governo e as empresas investiram pouco na investigação e desenvolvimento deste tipo de energia renovável, preferindo investir mais nas energias on-shore (eólica e solar).

3 – Apesar dos desafios há progresso

Existem programas piloto em lugares como Portugal, Escócia, Austrália, entre outros. As coisas poderiam avançar mais rápido se um protótipo prova-se que resultava eficientemente, mas tal ainda não aconteceu.

central ondas Ilha do Pico

Central de Ondas Porto Cachorro, Ilha do Pico (Créditos: Efacec)

4 – Alto custo

Se as desvantagens dos custos não forem superadas, não faz sentido construir centrais de ondas quando se podem construir centrais solares ou eólicas com a mesma capacidade e pela mesma quantidade de dinheiro.

WaveRoller-wave-energy-device-under-water-cropped-energia ondas

Fonte: WaveRoller

Vantagens:

– É uma energia renovável;
– Não produz qualquer tipo de poluição;
– É menos dependente das condições da costa.

Desvantagens:

– Instalações de potência reduzida;
– Requer uma geometria da costa especial e com ondas de grande amplitude;
– Impossibilita a navegação (na maior parte dos casos);
– Deterioração dos materiais pela exposição à água salgada do mar.

Boas notícias: Bruxelas aprovou a atribuição de apoios de 9,1 milhões de euros para o projeto SWELL, que explorará a energia das ondas em Peniche. Leia mais…

Fonte: TreeHugger

… o que interessa deve ser partilhado!

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador. Leia a nossa Política de Privacidade para mais informações.