fbpx

ERSAR divulga relatório de monitorização do PERSU 2020

O Plano Estratégico para os Resíduos Sólidos Urbanos (PERSU 2020) constitui o instrumento estratégico para a gestão de resíduos urbanos até 2020 e estabelece orientações e objetivos para este setor. A Portaria n.º 187-A/2014, de 17 de setembro, que aprovou o PERSU 2020, prevê mecanismos de avaliação intercalar, bem como a monitorização e acompanhamento de execução anual deste Plano.

Nesse âmbito, a ERSAR – Entidade Reguladora dos Serviços de Água e Resíduos, elaborou e divulgou recentemente o relatório de monitorização do Plano Estratégico para os Resíduos Urbanos 2020 referente ao ano de 2016.

O relatório de monitorização está estruturado de forma a refletir nos principais aspetos considerados relevantes para o setor, bem como a aferir ao cumprimento dos objetivos estabelecidos neste Plano.

A avaliação foi efetuada tendo por base o estabelecimento das metas intercalares diferenciadas ao nível dos sistemas de gestão de resíduos urbanos, referentes ao ano de 2016:

  • Preparação para a reutilização e reciclagem;
  • Deposição de Resíduos Urbanos biodegradáveis em aterro;
  • Retomas de recolha seletiva.

 

O relatório destaca ainda um conjunto prioritário de ações e medidas, que se centram nos seguintes objetivos:

  • Prevenção da produção de resíduos urbanos (RU);
  • Redução da deposição de RU em aterro;
  • Reforço dos instrumentos económico-financeiros;
  • Incremento da eficácia e capacidade institucional e operacional do setor.

 

Por fim, este relatório apresenta um conjunto de preocupações e recomendações, bem como medidas pertinentes que os intervenientes do setor dos resíduos urbanos devem ter em consideração.

Como desafios e prioridades a ERSAR identifica os seguintes:
A nível ambiental:

Alcançar as metas estabelecidas no PERSU 2020, tendo ainda presentes as metas mais ambiciosas que se encontram em discussão a nível comunitário;

Analisar a eventual necessidade de revisão do PERSU 2020, atendendo às perspetivas, a nível comunitário, após 2020;

Analisar a eventual necessidade de revisão das metas definidas para os SGRU – Sistema de Gestão de Resíduos Urbanos;

Analisar a eventual necessidade de reformulação dos investimentos previstos no PERSU 2020;

  Assegurar o elevado desempenho e eficiência das infraestruturas de gestão de resíduos;

–  Aumentar a prevenção da produção de RU, reduzir a deposição em aterro e aumentar a reutilização/reciclagem (economia circular);

A nível económico-financeiro:

–  Consolidar e aplicar com sucesso o novo modelo de regulação económica (RTR);

Aumentar o grau de recuperação dos custos e garantir a sustentabilidade económico-financeira das Entidades Gestoras;

A nível social:

  Informar e proteger os utilizadores dos serviços;

Reforçar o investimento na sensibilização do cidadão para a sua adesão, cada vez mais eficaz na prevenção da produção de resíduos e na adequada deposição seletiva de resíduos;

A nível global e operacional:

  Implementação efetiva dos princípios da economia circular;

  Melhorar o reporte de informação e o conhecimento das infraestruturas e da estrutura económico-financeira;

Reforçar a articulação e troca de informação entre os diversos stakeholders;

Melhorar a eficiência estrutural e operacional e a sustentabilidade económica e financeira dos serviços;

  Garantir o escoamento dos materiais recicláveis, composto e CDR resultantes do tratamento dos resíduos.

 

Fonte: Ersar

Para consultar o Relatório de Monitorização do PERSU 2020, referente a 2016 e documentos associados, clique aqui.

… o que interessa deve ser partilhado!

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador. Leia a nossa Política de Privacidade para mais informações.