Guia Ibérico sobre Espécies Exóticas Invasoras Aquáticas

Ambiente, Biodiversidade, Blog, Ecossistemas, Espécies, Espécies Exóticas Invasoras, Sistemas ecológicosComentários fechados em Guia Ibérico sobre Espécies Exóticas Invasoras Aquáticas639

Foi publicado recentemente, em formato online, o primeiro “Guia das Espécies Exóticas e Invasoras dos Rios, Lagos e Estuários da Península Ibérica”.

A elaboração deste guia envolveu 42 investigadores portugueses e espanhóis e contém fichas dedicadas a 100 espécies invasoras de diferentes grupos taxonómicos, desde peixes às plantas aquáticas, algas e fungos, passando pelos mamíferos, aves, invertebrados, anfíbios e répteis. Das espécies exploradas, estão por exemplo: o jacinto de água, o siluro, o mexilhão-zebra, o guaxinim e a tartaruga-pintada.

Neste livro técnico são apresentadas de forma simples e didática várias imagens, mapas de distribuição na Península Ibérica e descrição das caraterísticas de cada espécie. O Guia define ainda o conceito de Espécie Exótica Invasora (EEI) e explica como estas se dispersam, quais os seus impactos e o que podemos fazer para evitar ou minimizar o problema.

A equipa do LIFE Invasaqua, explica que “a introdução de EEIs é a principal causa de extinção de espécies nativas, provocando danos económicos que excedem os 12 mil milhões de euros/ano no contexto da União Europeia. Algumas destas espécies são também responsáveis por problemas de saúde pública.”

Este Guia destina-se ao público em geral e foi publicado no âmbito do projeto internacional LIFE INVASAQUA, com a participação do MARE – Centro de Ciências do Mar e do Ambiente na Universidade de Évora, da ASPEA – Associação Portuguesa de Educação Ambiental e da SIBIC – Sociedade Ibérica de Ictiologia.

O projeto LIFE INVASAQUA tem como principal objetivo a sensibilização da sociedade e dos decisores políticos para a prevenção e o alerta precoce da ocorrência de Espécies Exóticas Invasoras. Este projeto já colaborou na implementação de uma App Europeia dedicada às EEIs, elaborou um inquérito a nível Ibérico sobre a perceção pública acerca destas espécies e lançou recentemente a campanha Veja-Lave-Seque para prevenir a sua dispersão em meio aquático.

O QUE SÃO AS ESPÉCIES EXÓTICAS INVASORAS (EEI)?

As espécies exóticas são espécies transportadas para fora do seu âmbito ecológico ou da sua distribuição natural devido a ação humana. Sem intervenção humana, a maioria destas espécies não são capazes de sobreviver num meio estranho e acabam por desaparecer. No entanto, algumas espécies são capazes de se adaptar ao novo meio e acabam por implantar-se nos ecossistemas.

As Espécies Exóticas Invasoras (EEI) são definidas como as espécies cuja introdução e propagação fora do seu âmbito ecológico natural constituem uma ameaça real para a biodiversidade e para a economia.

Calcula-se que, na Europa, existam mais de 12 000 espécies exóticas, das quais a volta de 10-15% são invasoras. Encontram-se representadas em todos os grandes grupos: mamíferos, anfíbios, repteis, peixes, invertebrados, plantas, fungos, bactérias y outros microrganismos. Encontram-se igualmente em todas as classes de habitats, tanto terrestres como aquáticos. A introdução de plantas e animais exóticos num novo ambiente pode ter como consequência:

1) perda de biodiversidade, e por vezes, a extinção de espécies indígenas. Este problema afeta especialmente os territórios da UE situados fora do continente europeu, que são importantes reservas de biodiversidade;

2) a transmissão de doenças aos seres humanos;

3) danos económicos devidos, por exemplo: perdas de culturas e a danos em infraestruturas.

MEDIDAS PARA EVITAR A ENTRADA DE ESPÉCIES INVASORAS NA UE?

Já estão estabelecidas algumas medidas para evitar a entrada de espécies exóticas invasivas na UE e lidar de forma mais eficaz com as espécies exóticas. Algumas das medidas passam por:

Proibir a importação, venda, cultivo, criação, utilização e disseminação das espécies exóticas invasivas mais problemáticas (espécies prioritárias);

Para assegurar o respeito desta proibição, os países terão de assegurar controlos nas fronteiras e introduzir um sistema de vigilância para detetar espécies proibidas. Também terão de ser tomadas medidas para detetar as espécies que entram na Europa acidentalmente.

Se um país detetar a presença de espécies proibidas na UE, terá de tomar medidas imediatamente, a fim de impedir a propagação da espécie em causa.

A versão digital do “Guia das Espécies Exóticas e Invasoras dos Rios, Lagos e Estuários da Península Ibérica” é gratuita e está disponível para download em três línguas (português, inglês e espanhol).

Posteriormente será também lançada em versão impressa, que acontecerá após a normalização da situação de pandemia.


Fontes: Mare-Centre; Wilder; Lifeinvasaqua

Related Posts