Dia Mundial dos Oceanos, marcado pela 1ª Conferência Mundial dos Oceanos

Ambiente, BlogComentários fechados em Dia Mundial dos Oceanos, marcado pela 1ª Conferência Mundial dos Oceanos1004

No dia 8 de junho, milhões de pessoas de todo o planeta celebram o Dia Mundial dos Oceanos. O tema escolhido para o ano 2017 foi “Our Oceans, Our Future”.

Coordenado e promovido internacionalmente desde 2002 pelo The Ocean Project, o dia mundial dos oceanos é uma celebração anual, que apela à ação de conservação do oceano ao longo de todo o ano.

The Ocean Project promove a conservação dos oceanos em parceria com a uma rede de mais de 2.000 aquários, museus e outras organizações de jovens em mais de 100 países, procurando o envolvimento das pessoas, principalmente a comunidade jovem, nas ações de conservação do oceano.

O principal foco de conservação deste ano é a prevenção da poluição plástica e a limpeza do lixo marinho nos oceanos. The Ocean Project procura incentivar soluções para a poluição plástica, de forma a que o oceano volte ao seu estado saudável e se perspective um futuro melhor para o planeta.

O World Oceans Day Youth Advisory Council – Conselho Juvenil do Dia Mundial dos Oceanos, em parceria com a campanha Clean Seas dos Nações Unidas, desenvolveu uma maneira simples para o público agir e expressar a sua preocupação com o lixo plástico nos nossos oceanos. Através do site www.keepoceans.blue, as pessoas podem comprometer-se a reduzir o uso de plásticos descartáveis ​​e encorajar os outros a fazerem o mesmo através de partilhas nas redes sociais usando #CleanSeas e #WorldOceansDay.

1ª Conferência Mundial dos Oceanos

Na semana em se que comemorou o dia Mundial dos Oceanos, a ONU acolheu a 1ª Conferência Mundial dos Oceanos, durante a qual os 193 estados membros adotaram uma declaração de compromisso, com ações concretas para garantir um futuro sustentável para os oceanos.

O objetivo da conferência consistiu em trabalhar no desenvolvimento de parcerias para a implementação dos objetivos do desenvolvimento sustentável que se relacionam com a conservação dos mares e oceanos e com a gestão dos recursos marinhos.

Esta conferência funcionou como um apelo para que os estados tomem as medidas necessárias rapidamente, de forma a cumprir o que ficou acordado no Objetivo 14 da Agenda do Desenvolvimento Sustentável, sobre preservação e exploração sustentável dos oceanos.

Durante esta conferência, Portugal entregou 10 compromissos voluntários para a conservação dos oceanos. Entre os compromissos que Portugal pretende assumir perante a comunidade internacional, destaca-se a duplicação de áreas protegidas até 2020, para 14% do território marítimo sob jurisdição nacional e a criação de planos de gestão e de situação para o ambiente marinho. Os planos de gestão, que deverão estar finalizados até 2020, “vão dizer o que se pode fazer em cada zona, com que intensidade, e que medidas de proteção são necessárias.”
Outro dos compromissos assumidos é a expansão a todos os portos de pesca de Portugal continental até 2030, do projeto “A Pesca por um Mar sem lixo”, que começou no porto de Peniche.

Portugal compromete-se ainda a:

  1.  Reduzir a poluição marítima através do desenvolvimento de plataformas tecnológicas e ferramentas que promovam a economia circular do mar;
  2. A trabalhar a nível regional com a Convenção para a Proteção do Meio Marinho do Atlântico Nordeste para reduzir o lixo no Atlântico;
  3. A garantir a criação do Fundo Azul;
  4. A reduzir as capturas acessórias até 17% do total do pescado até 2023;
  5. A aumentar, em 2 milhões de euros, o investimento público em projetos de conservação de biodiversidade marinha;
  6. A criar uma rede de pesquisa e inovação, ancorada no Port Tech Cluster, em Lisboa e no Observatório do Atlântico, nos Açores;
  7. A promover as políticas públicas e a atenção internacional viradas para a importância dos oceanos.
Durante um discurso na conferência, a ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, anunciou que Portugal pretende organizar a 2.ª edição do evento em 2020.

embaixador português na ONU, Álvaro Mendonça e Moura, diz que “temos um grave problema de falta de atenção sobre as questões dos oceanos. Existe hoje uma consciencialização sobre as questões do clima e a necessidade de combater as mudanças climáticas, mas essa consciência não existe em relação aos oceanos. Esta conferência visa começar a mudar essa situação”.

A versão final em português do documento redigido na 1ª Conferência dos Oceanos, já está disponível. O documento político que compromete todos os países a trabalharem para a sustentabilidade dos oceanos.

Versão em Português, clique aqui.

Versão em Inglês, aqui: https://oceanconference.un.org/callforaction

Fontes: AmbienteMagazineworldoceansdayTheOceanProject

Related Posts