fbpx

População de Lobo ibérico está a aumentar em Portugal

Diminuir o conflito entre a presença do Lobo ibérico (Canis lupus signatus) e as atividades humanas é o objetivo do projeto “Life MedWolf – Boas Práticas para a Conservação do Lobo em regiões Mediterrânicas”, que já iniciou ações piloto para melhorar a convivência entre homem e o lobo.

A população de lobo está a aumentar em Portugal, na zona de entre o sul do Douro e o norte do Tejo, um fenómeno que também se verifica noutros locais da Europa, disse Francisco Fonseca, o presidente do Grupo Lobo.

Francisco Fonseca, que é também o coordenador nacional do projeto “Life MedWolf – Boas Práticas para a Conservação do Lobo em regiões Mediterrânicas”, deslocou-se a Castelo Branco, onde decorreu a primeira reunião do grupo de trabalho do Lobo ibérico. A reunião teve como objetivo juntar investigadores portugueses e espanhóis, para discutir a situação do lobo na Península Ibérica.

“Temos muitos anos de experiência e de ligação a este problema que é a convivência entre o homem e o lobo, geradora de muitos conflitos, não só através dos criadores de gado, mas também por causa de associações algumas delas radicais”, adiantou Francisco Fonseca.

Segundo o coordenador nacional do projeto “LIFE MedWolf”, já estão a ser criadas ações piloto para demonstrar às pessoas que é possível tomar determinadas decisões que vão diminuir o prejuízo causado pelo lobo.

Essas ações passam pela distribuição gratuita de cercas para proteção de gado bovino e pela distribuição de cães de gado, para ajudar a proteger os rebanhos.

“Óbvio que o projeto não pode chegar a toda a gente porque é também uma base de demonstração. Ninguém está à espera de eliminar todos os prejuízos que o lobo possa causar, mas queremos que esses prejuízos diminuam e, portanto, diminua o conflito com o lobo”, sublinhou.

Os projetos-piloto estão a decorrer na zona entre o sul do Douro e o norte do Tejo e que a Escola Superior Agrária de Castelo Branco (ESA) selecionou, com base em critérios pré-estabelecidos, oito criadores de gado da região entre o Douro e o Tejo, onde decorre o projeto.

O presidente do Grupo Lobo disse ainda que o Estado tem vindo a melhorar o seu papel na proteção do Lobo Ibérico e adiantou que o período das compensações por prejuízos aos produtores de gado, tem vindo a diminuir.

Contudo, sublinhou que, apesar da legislação em vigor, “neste momento sabemos que existem casos graves de lobos mortos ilegalmente. Não o conseguimos quantificar mas é uma situação muito grave. Portanto, a lei não está a ser aplicada porque não temos meios. Sabemos as dificuldades que os serviços oficiais têm”.

O investigador adiantou ainda que quer começar a fazer um censo de lobo em Portugal, cuja população atual se estima em 300 indivíduos.

Conheça a importância que os lobos têm na natureza, veja o artigo “Como é que o lobo muda o curso dos rios“.

Este artigo foi sugerido por Pedro Almeida, sugira também ideias ou projetos interessantes na área do Ambiente para publicarmos no Blog da NOCTULA – Consultores em Ambiente, através do Facebook ou pelo email info@noctulachannel.com!

Fotos: Grupo Lobo Facebook

Fonte: Observador

… o que interessa deve ser partilhado!

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador. Leia a nossa Política de Privacidade para mais informações.