Desde 1992, o Programa Life cofinanciou 3954 projetos em todo o espaço da UE, tendo já contribuído com cerca de 3,1 mil milhões de Euros para a proteção do ambiente.

Estratégia para a Energia Renovável Offshore em consulta pública

Ambiente, Blog, Energia, Energia Renovável Offshore, Energias RenováveisComentários fechados em Estratégia para a Energia Renovável Offshore em consulta pública268

Através da exploração do oceano podemos obter diversas formas de energia renovável, seja através das marés oceânicasondascorrentes de marés, energia offshore, energia térmica oceânica e gradientes de salinidade. Estas diversas formas de energia podem ser exploradas para gerar eletricidade limpa e eficiente.

Com a publicação do European Green Deal – Pacto Ecológico Europeu, no final do ano de 2019, a Europa ambiciona ser o primeiro continente neutro em matéria de clima até 2050, preservando e promovendo ainda mais o papel da UE como líder mundial em energias renováveis.

A energia renovável offshore é um dos setores com bom potencial, conforme destacado na visão estratégica do relatório “Um Planeta Limpo para Todos”, que realça o facto de ser necessária uma ampliação da energia eólica offshore na Europa dos atuais 22 GW (da UE-28) para cerca de 240-440 GW em 2050, para se atingir a neutralidade de carbono até 2050.

Também as energias oceânicas (das ondas e das marés), bem como a energia fotovoltaica flutuante em combinação com instalações de armazenamento e conversão, poderão desempenhar um papel fundamental para ajudar a União Europeia a alcançar os seus objetivos climáticos para 2030-50.

Em comunicado, a Comissão Europeia refere que numa fase em que todos os países do mundo estão a sentir os efeitos da pandemia por COVID-19, é crucial evitar atrasos significativos no investimento em energias renováveis offshore, uma vez que este setor também pode ajudar na recuperação e crescimento sustentável da economia.

No entanto, o crescimento deste setor depende de um grande impulso nos investimentos e no desenvolvimento contínuo da infraestrutura energética europeia, quadros regulatórios, desenho de mercado e na área de pesquisa e inovação.

É nesse contexto, que a Comissão Europeia está a promover uma ação de consulta pública dedicada à futura Estratégia para a Energia Renovável Offshore, que será implementada ainda no decorrer do ano 2020.

O processo de consulta pública termina a 24 de setembro.

Para participar, clique aqui.

A Estratégia para a Energia Renovável Offshore definirá a melhor forma de explorar e aumentar as energias renováveis offshore (geração, distribuição e uso) para alcançar a neutralidade climática até 2050. Esta estratégia será parte integrante do Pacto Ecológico Europeu e do pacote de recuperação Next Generatiion EU.

Para maximizar o seu impacto, a estratégia irá além de uma definição restrita dos fatores de produção de energia e abordará questões mais amplas, como:

  1. o acesso ao espaço marítimo;
  2. dimensões industriais e de emprego;
  3. cooperação regional e internacional;
  4. transferência tecnológica dos projetos de pesquisa para a componente prática.

Ao mesmo tempo irá reforçar o papel da energia offshore no setor energético e sustentabilidade, mais especificamente, na proteção do meio ambiente e da biodiversidade, que serão preocupações fundamentais a ter em consideração nesta estratégia.


A NOCTULA – Consultores em Ambiente no setor das Energias Renováveis 

Consulte os serviços que a NOCTULA presta na área das Energias Renováveis: clique aqui.

energias renováveis, energia eólica, energia solar

NOCTULA – Consultores em Ambiente já realizou vários trabalhos no âmbito do setor da energia éolica, nomeadamente:

 No âmbito de sobreequipamento de parques eólicos, tendo sido responsável pelo Pedido de Enquadramento do Sobreequipamento do parque eólico do Sobrado e pela elaboração de todos os elementos do respetivo Anexo Técnico e Anexo Cartográfico;

 Realizou o Estudo de Viabilidade Ambiental de 2 parques eólicos a instalar no centro de Portugal;

 Foi responsável pela Monitorização de Sistemas Ecológicos (Fauna e Flora) no Parque Eólico de São Macário II;

– Foi responsável pelo Estudo de Incidências Ambientais – Repowering do Parque Eólico Picos Verdes I

– É responsável pelo Estudo de Impacte Ambiental – repowering e sobreequipamento do Parque Eólico de Picos Verdes II

Caso necessite de algum tipo de serviço nesta área, não hesite em contactar-nos.


Fontes: ANI, ec.europa

Related Posts