fbpx

Potenciais consumidores de Hidrogénio Verde em Portugal

A aceleração da transição energética e a descarbonização da economia na próxima década vai determinar uma mudança muito expressiva nas cadeias de produção de energia a nível global.

Nesta perspectiva, a substituição progressiva dos combustíveis fósseis pela produção de energia através de fontes de origem renovável, vai conduzir à criação de novos clusters industriais nos países com vantagens competitivas na produção hidrogénio verde.

Portugal tem mantido a sua posição no pelotão da frente, no que diz respeito ao desenvolvimento de uma economia nacional e europeia com integração do hidrogénio verde, tendo apresentado em 2020 a Estratégia Nacional para o Hidrogénio (EN-H2), cujo principal objetivo passa por promover a introdução gradual do hidrogénio.

Neste artigo abordamos de uma forma geral o mercado de hidrogénio verde em Portugal:

– Quem é que vai consumir o hidrogénio verde?

– Onde estão localizados os potenciais consumidores de H2 em Portugal?

Principais consumidores de Hidrogénio Verde em Portugal

– Setor da Indústria

  • Indústria vidreira, química e cerâmica;
  • Indústria de cimento e cal;
  • Indústria mineira;
  • Indústria de papel e pasta de papel;
  • Indústria agroalimentar;
  • Centrais termoelétricas e refinarias de produtos petrolíferos.

– Setor dos transportes 

De acordo com o LNEG – Laboratório nacional de Energia e Geologia há alguns pontos no território continental nacional considerados prioritários, para se começar a arrancar com a localização de unidades de abastecimento para os transportes:

  • Terminais de empresas de transporte rodoviários de passageiros;
  • Acesso às principais rotas de transporte rodoviário de mercadorias, nomeadamente as autoestradas A1, A6, A25 e respetivas Estradas Nacionais num raio de 20 km.
  • Postos de abastecimento da Rede de Emergência de Postos de Abastecimento (REPA), que poderão ser reconvertidos para o abastecimento de veículos a H2.

– Consumo de H2 como matéria prima

O hidrogénio para além de ser um vetor energético, também pode ser usado como matéria prima. O LNEG considera que algumas empresas em Portugal podem ser consideradas potenciais consumidores de H2 como matéria prima, como por exemplo: a Sociedade Portuguesa de Ar Liquido, a Sopac – Sociedade Produtora de Adubos Compostos; a Refinaria de Sines, a ADP Fertilizantes, a Bondalti Chemicals, entre outras.

– Grandes emissores de Co2

No futuro, combinar o Co2 capturado com H2 também pode ser uma boa aposta para produzir combustíveis sintéticos que podem alimentar o setor dos transportes. Portugal tem como potenciais consumidores:

  • Produtores de clínquer (cimento);
  • Produção de vidro;
  • Centrais termoelétricas de gás natural;
  • Refinaria de Sines.

Fonte: LNEG

Apoiamos a sua empresa!

A NOCTULA – Consultores em Ambiente pode apoiar a sua empresa, em várias áreas de intervenção:

  1. Pedidos de Enquadramento no RJAIA;
  2. Estudos relacionados com os procedimentos de Avaliação de Impactes (EIA) e Incidências Ambientais (EIncA);
  3. Estudos de Macrocondicionantes Ambientais;
  4. Monitorizações de Sistemas Ecológicos;
  5. Planos de gestão para espécies específicas de fauna e flora;
  6. Medidas de minimização e compensatórias.

 

Se precisar de apoio neste âmbito, não hesite em contactar-nos: 232 436 000 ou através do email: info@noctula.pt.

… o que interessa deve ser partilhado!

Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador. Leia a nossa Política de Privacidade para mais informações.