Estudo de Impacte Ambiental (EIA) – Central Fotovoltaica de Lupina

A NOCTULA – Consultores em Ambiente foi responsável pela coordenação do Estudo de Impacte Ambiental (EIA) no âmbito do projeto de implantação da Central Fotovoltaica de Lupina, localizada no distrito de Viseu.

O estudo, que tem como entidade licenciadora, a Direção Geral de Energia e Geologia (DGEG), esteve em consulta pública, no Portal Participa, página oficial que disponibiliza as informações relevantes sobre os processos sujeitos a consulta pública a cargo do Ministério do Ambiente e da Ação Climática.

O projeto da Central Fotovoltaica de Lupina prevê a implementação de uma potência na ordem dos 220 MVA, com a qual se estima produzir cerca de 423,8 GWh/ano, evitando a emissão de 412 416 toneladas de CO2, contribuindo assim para a prossecução dos objetivos assumidos pelo Estado Português, nomeadamente, no que respeita à diminuição da emissão dos Gases com Efeito de Estufa (GEE) e Neutralidade Carbónica.

Enquadra-se ainda nas políticas ambientais e energéticas preconizadas não só em Portugal, mas também a nível mundial, de forma a viabilizar o cumprimento dos compromissos assumidos internacionalmente, em particular os que se referem à limitação das emissões dos GEE.

A projeto da Central Fotovoltaica de Lupina, com uma potência nominal instalada de 220 MVA (potência de pico: 264,47 MWp), será composto por:

  • 520 940 módulos fotovoltaicos, com 500 Wp de potência;
  • 18 605 strings de 28 módulos fotovoltaicos cada;
  • 65 inversores;
  • 65 Postos de Transformação;
  • 5 Posto de Seccionamento;
  • 4 Armazéns instalados em contentores;
  • Rede de cabos subterrâneos;
  • Linhas aéreas de 30 kV;
  • Subestação Elevadora, com respetivo edifício de comando;
  • Caminhos interiores e vedação;
  • Sistema de monitorização e de segurança.

 

Regime Jurídico de Avaliação de Impacte Ambiental – Enquadramento

O atual regime jurídico de Avaliação de Impacte Ambiental (AIA) encontra-se instituído pelo Decreto-Lei n.º 151-B/2013, de 31 de outubro, republicado pelo Decreto-Lei n.º 152-B/2017, de 11 de dezembro, transpondo para a ordem jurídica interna a diretiva n.º 2011/92/EU, do Parlamento Europeu e do conselho, de 13 de dezembro de 2011, relativa à avaliação dos efeitos de determinados projetos públicos e privados no ambiente.

O projeto da Central Fotovoltaica de Lupina destina-se à produção de energia elétrica através de fonte renovável, enquadrável na tipologia descrita na alínea a) dos projetos de Indústria da Energia, no Anexo II do Decreto-Lei acima mencionado: “Instalações industriais destinadas à produção de energia elétrica, de vapor e de água quente (não incluídos no anexo I)” e terá uma potência total superior a 50 MW, encontrando-se assim sujeito a Avaliação de Impacte Ambiental.

A NOCTULA – Consultores em Ambiente já coordenou vários trabalhos no âmbito de projetos de Energia Solar Fotovoltaica. Conheça aqui alguns desses projetos:

 

A NOCTULA também foi responsável pela elaboração de um Estudo de Incidências Ambientais (EIncA) relativo ao projeto Central Fotovoltaica, localizada em Ovar. Foi ainda responsável pela gestão ambiental e pelo acompanhamento arqueológico da obra de construção da mesma Central Fotovoltaica.

Caso necessite de algum serviço nestas áreas não hesite em contactar-nos: 232 436 000 ou através do email: info@noctula.pt.

… o que interessa deve ser partilhado!

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador. Leia a nossa Política de Privacidade para mais informações.