fbpx

Publicado em DR o diploma que estabelece o mecanismo de emissão de garantias de origem para o Hidrogénio

O diploma que estabelece o “mecanismo de emissão de garantias de origem para gases de baixo teor de carbono e para gases de origem renovável”, foi publicado em Diário da República, através do Decreto-Lei n.º 60/2020, de 17 de Agosto.

O novo mecanismo já entrou em vigor e tem como objetivo atualizar as metas de energia renovável e, deste modo, cobrir também os desenvolvimentos previstos na Estratégia Nacional para o Hidrogénio (EN-H2).

O governo português comprometeu-se a atingir a neutralidade carbónica até 2050, traçando uma visão clara relativamente à necessidade de uma descarbonização profunda da economia nacional, sustentada nos recursos endógenos renováveis e na sua utilização eficiente.

Os gases de origem renovável e os gases de baixo teor de carbono apresentam elevado potencial para a descarbonização de setores da economia, pois podem substituir os combustíveis fósseis na indústria, no transporte rodoviário, no transporte ferroviário, no transporte fluvial e marítimo, e apresentam ainda um grande potencial enquanto combustível eficiente para produção de calor/frio e de eletricidade.

É neste contexto que o Governo procede à adaptação do sistema de emissão de garantias de origem da eletricidade proveniente de fontes renováveis, constante do Decreto-Lei n.º 141/2010, com vista à inclusão dos gases de baixo teor de carbono e dos gases de origem renovável.

Esta inclusão tem o objetivo de comprovar ao consumidor final, através da emissão de certificados eletrónicos, a quota ou quantidade de energia proveniente de fontes renováveis presente no cabaz energético de um determinado fornecedor.

Pode consultar todos os parâmetros deste diploma, AQUI.

Principais pontos do Decreto-Lei n.º 60/2020

– Estabelece o mecanismo de emissão de garantias de origem para energia de aquecimento ou arrefecimento a partir de fontes de energia renováveis;

Estabelece o mecanismo de emissão de garantias de origem para gases de baixo teor de carbono e para gases de origem renovável;

Gases de baixo teor de carbono são combustíveis gasosos produzidos a partir de um processo que utilize energia de fontes de origem não renovável, cujas emissões de carbono sejam inferiores a 36,4 gCO (índice 2)-eq/MJ.

Gases de origem renovável são combustíveis gasosos produzidos de processos que utilizem energia de fontes de origem renovável na aceção da Diretiva (UE) 2018/2001, do Parlamento Europeu e do Conselho.

EEGO é a entidade responsável pela emissão das garantias de origem;

A meta de utilização de energia proveniente de fontes renováveis no consumo final bruto de energia é fixada nas seguintes percentagens:

  • Para o ano 2020 – 31 %;
  • Para o ano 2022 – 34 %;
  • Para o ano 2025 – 38 %;
  • Para o ano 2027 – 41 %;
  • Para o ano 2030 – 47 %.

 

A utilização de energia proveniente de fontes renováveis no consumo energético em todos os modos de transporte é fixada nas seguintes percentagens:

  • Para o ano 2020 – 10 %
  • Para o ano 2030 – 20 %.

 

Para o ano de 2030, é fixada uma meta mínima de 3,5 pontos percentuais em teor energético da quota de energia proveniente de fontes renováveis nos transportes;

 Os produtores devem solicitar à EEGO a emissão de garantias de origem referentes aos gases por si produzidos, nos termos do decreto-lei n.º 60/2020.

As garantias de origem devem especificar:
  • A matéria-prima utilizada para a produção dos gases;
  • O processo ou tecnologia utilizados na produção dos gases;
  • As emissões de CO associadas à produção dos gases;
  • As emissões evitadas de CO por quilograma produzido de gases;
  • Informações complementares.

 

A fiscalização do cumprimento das disposições constantes no decreto-lei n.º 60/2020 é da competência da ENSE- Entidade Nacional para o Setor Energético.

Constitui contraordenação punível com coima de 500€ a 3740€, no caso de pessoas singulares, e de 2500€ a 44 891, no caso de pessoas coletivas:

O incumprimento da obrigação de solicitar a emissão de garantias de origem referentes à energia produzida a partir de fontes de energia renováveis;

O incumprimento da proibição de transação de garantias de origem;

O incumprimento da obrigação de solicitar a emissão de garantias de origem referentes à produção de gases de baixo teor de carbono;

O incumprimento da obrigação de solicitar a emissão de garantias de origem referentes à produção de gases de origem renovável;

O incumprimento da obrigação de facultar à EEGO, designadamente, todas as informações necessárias para a garantia da fiabilidade do sistema de emissão das garantias de origem, assim como do acesso às suas instalações.

os produtores de gases de baixo teor de carbono e de gases de origem renovável devem instalar sistemas de monitorização e controlo das características e propriedades dos gases que permitam e assegurem a certificação da origem da energia produzida, nos termos previstos na legislação e regulamentação aplicável.

A garantia de origem tem a validade de 12 meses a contar do fim do período de produção da unidade de energia a que respeita, devendo ser cancelada no prazo máximo de seis meses, findo o período de validade.

Apoiamos a sua empresa!

A NOCTULA – Consultores em Ambiente pode apoiar a sua empresa, em várias áreas de intervenção:

  1. Pedidos de Enquadramento no RJAIA;
  2. Estudos relacionados com os procedimentos de Avaliação de Impactes (EIA) e Incidências Ambientais (EIncA);
  3. Estudos de Macrocondicionantes Ambientais;
  4. Monitorizações de Sistemas Ecológicos.

 

Se precisar de apoio neste âmbito, não hesite em contactar-nos: 232 436 000 ou através do email: info@noctula.pt.

… o que interessa deve ser partilhado!

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador. Leia a nossa Política de Privacidade para mais informações.