Conferência “Impactes da Energia Eólica na Vida Selvagem“

Blog, Energia Eólica, Energias Renováveis, Monitorização de Sistemas EcológicosComentários fechados em Conferência “Impactes da Energia Eólica na Vida Selvagem“914

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInBuffer this pagePin on PinterestTweet about this on TwitterEmail this to someone

A Conference on Wind Energy and Wildlife Impacts (CWW)teve pela primeira vez lugar em Portugal e o local escolhido foi o Estoril. A 4ª edição desta conferência, que já se realizou em Trondheim na Noruega em 2011, em Stockholm na Suécia no ano de 2013 e em 2015 na cidade de Berlim na Alemanha, decorreu entre os dias 6 e 8 de setembro, no Centro de Congressos do Estoril.

A CWW é um evento internacional, que funciona como uma importante plataforma para partilha de conhecimento sobre a energia eólica e as interações com a vida selvagem. A CWW 2017 teve como objetivo manter e promover a cooperação internacional entre investigadores, reguladores e partes interessadas que ao longo dos anos contribuíram para a construção de conhecimento sobre esse tema.

Segundo declarações da organização, os principais temas debatidos focaram-se em novas soluções a implementar de forma a minimizar os impactos dos parques eólicos na avifauna, nos quirópteros, nos lobos, entre outros. Debateu-se ainda o sucesso e a importância das medidas compensatórias apropriadas na preservação do habitat de animais como o Lobo Ibérico (Canis lupus signatus), espécie classificada em “Perigo de Extinção”.

Apesar dos avanços recentes, colocam-se ainda vários desafios ao entendimento dos impactes da energia eólica sobre os valores naturais. Ao longo da conferência foram abordados temas como: planeamento e políticas, avaliação dos efeitos diretos e indiretos na vida selvagem, abordagens metodológicas, desenvolvimento tecnológico e estratégias de mitigação e a sua eficácia.

Principais pontos em debate:

Fatalidade das espécies e vulnerabilidades,

Impactes populacionais e efeitos cumulativos,

Alterações do Habitat,

Funcionamento do ecossistema e serviços ecossistémico,

Comportamento das espécies.

Tal como nas edições anteriores, estiveram presentes cerca de 400 participantes, representando empresas públicas e privadas, instituições académicas, grupos profissionais e agências governamentais internacionais na área do ambiente e das energias renováveis.

A conferência apresentou um amplo espaço para sessões técnicas, incluindo um relevante painel de discussão, e uma área de exibição, onde promotores, fornecedores de tecnologia e outros podem apresentar produtos, serviços e resultados de investigação e inovação.

DTBird & DTBat, sistemas automáticos de monitorização que permitem também a redução do risco de colisão de aves e quirópteros (morcegos) com aerogeradores terrestres ou marinhos, foi uma das tecnologias presentes nesta conferência internacional.

Principais Oradores do Evento:

Johann Köppel é professor do Instituto de Tecnologia de Berlim (Alemanha) e chefe do Grupo de Pesquisa e Avaliação Ambiental. É especialista em avaliações de impacto e está envolvido no desenvolvimento sustentável da energia eólica há mais de uma década.

Manuela Huso é investigadora no USGS Forest e Rangeland Ecosystem Science Center em Corvallis (USA). Desde 2004, tem estado envolvida na concepção e análise de estudos de monitorização de fatalidade pós-construção, bem como estudos de dissuasão e redução em várias instalações de geração de energia eólica. O seu trabalho estatístico recente tem se concentrado no desenvolvimento de estimadores imparciais de fatalidade causada pelas turbinas, tanto para compreender padrões gerais de fatalidade em grandes grupos, Aves de rapina ou morcegos, e também para o caso problemático de espécies raras ou ameaçadas de extinção.

Roel May é pesquisador do Instituto Norueguês para Pesquisa na Natureza (NINA). A sua pesquisa é centrada nos impactes das energias renováveis ​​na vida selvagem e ecologia espacial. A sua atual carteira de projetos inclui investigação e desenvolvimento sobre medidas de atenuação para reduzir as colisões de aves com turbinas eólicas. É um membro ativo da Agência Internacional de Energia Wind.

Teresa Simas iniciou a sua carreira como bióloga marinha em 1996 na Universidade Nova de Lisboa como investigadora associada no grupo de modelação ecológica do Instituto de Investigação Marinha (IMAR). Trabalhou como consultora para a implementação da Directiva-Quadro Europeia da Água em Portugal e para o desenvolvimento de EIA de vários outros projectos marinhos em Portugal. Em 2008, integrou a WavEC Offshore Renewables, uma organização portuguesa sem fins lucrativos para a promoção e desenvolvimento do setor. Desde então, é chefe da área de Meio Ambiente Marinho da WavEC, onde esteve envolvida em vários projetos de pesquisa e desenvolvimento sobre os aspectos ambientais da energia renovável marinha.

Daniel Skambracks é especialista em Meio Ambiente e Social no Centro de Competência para Meio Ambiente e Sustentabilidade Social do KfW (Alemanha). Desde 2005 é responsável pela diligência ambiental e social dos projectos nos Países em Desenvolvimento financiados pelo KfW.

Fabien Quétier é consultor da Biotope (França), uma empresa de consultoria especializada em serviços de biodiversidade e ecossistemas. Fabien trabalha na área da mitigação e compensação de impactos de desenvolvimento na biodiversidade para projetos de energia (hidroelétrica e eólica), projetos de infraestrutura (rodoviário e ferroviário, aeroportos, construção residencial e comercial), mineração e instalações industriais.


Veja aqui o artigo: “A verdade sobre a Energia Eólica na Vida Selvagem”
http://noctula.pt/energia-eolica-na-vida-selvagem/

A NOCTULA – Consultores em Ambiente presta serviços de monitorização, mitigação e investigação de quirópteros (morcegos), através das mais inovadoras metodologias de monitorização de sistemas ecológicos:

  1. Monitorização abrigos com sondas endoscópicas;
  2. Monitorização de abrigos cavernícolas e fissurícolas (e.g. edifícios, pontes de pedra);
  3. Monitorização acústica (deteção de ultrassons).

Alguns exemplos dos nossos projetos com morcegos em parques eólicos são: Monitorização da mortalidade de quirópteros no parque eólico da Serra d’el Rei e Monitorização de morcegos no parque eólico do Sobrado.

A NOCTULA também presta serviços especializados de monitorização, mitigação e investigação para aves aquáticas e marinhas, aves de rapina, passeriformes em geral, aves de montanha, estepárias e noturnas. As metodologias utilizadas são:

  1. Censos de aves (transectos, pontos fixos, método dos mapas, emissão de vocalizações conspecíficas (também designado por “chamamentos de aves noturnas”);
  2. Bioacústica (monitorização e avaliação do impacte do ruído e da perturbação em bioindicadores);
  3. Radio-tracking e seguimento por satélite.

Dois dos muitos trabalhos realizados pela NOCTULA nesta área são, nomeadamente: Monitorização de Tartaranhão-caçador no parque eólico de Negrelo e Guilhado e Atividade e mortalidade de Aves e Quirópteros – Parque Eólico Testos II.

Consulte os serviços que a NOCTULA presta na área das Energias Renováveis: clique aqui.

Caso necessite de algum tipo de serviço na área das monitorizações de morcegos ou aves, não hesite em contactar-nos.

Fontes: APREN
Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInBuffer this pagePin on PinterestTweet about this on TwitterEmail this to someone

Related Posts